22 de nov de 2013

10 Dicas para fazer fotos criativas



10 Dicas para fazer fotos criativas

Tirar um simples retrato de uma pessoa é relativamente fácil: centrar o rosto e disparar. Mais um retrato, nada de novo. E se aprendesse a tirar retratos espectaculares, daqueles para onde nos apetece ficar a olhar para sempre, de tão criativos e fascinantes que são? Comece a praticar com estas dicas.

Mudar de perspectiva. O retrato é a representação de uma pessoa e, como tal, tem como principal objectivo captar o seu rosto, expressão e estado de espírito. Nesse sentido, os retratos são normalmente tirados ao nível dos olhos mas não tem de ser exclusivamente dessa forma. Porque não experimentar fotografar de cima ou de baixo? Um ângulo completamente inesperado pode revelar-se um retrato interessante e original.

Cenários de fundo invulgares. O branco ou o preto são os cenários de fundo mais populares no que toca a retratos, o que é perfeito se quiser uma imagem simples e minimalista. No entanto, pode e deve experimentar com outros tipos de fundos, introduzindo cor, texturas e contextos diferentes para alterar substancialmente toda a fotografia. Experimente.

Olhos nos olhos? Tradicionalmente, quem está a ser fotografado para um retrato olha directamente para a máquina ou então ligeiramente para baixo, de forma a envolver quem irá observar a fotografia. Nada de errado aqui. Mas, para criar um retrato ainda mais atraente, peça à pessoa para olhar para fora do campo de visão da câmara. Quem vê vai ficar imediatamente curioso: para onde estará a olhar? Está a gostar do que vê? Porque será que se ri? Em alternativa, pode introduzir um segundo elemento na imagem – pode ser outra pessoa ou um objecto – no qual o principal elemento fixa o olhar e cria uma ligação. Ambas são excelentes formas de dinamizar um retrato e, de certa forma, contar uma história.

Rosto completo. Outra forma de inovar é utilizar em pleno o rosto a fotografar, ou seja, preencha por completo o enquadramento apenas com o rosto da pessoa, mais nada. Não há melhor forma de captar a atenção de quem olha e, afinal de contas, trata-se de um retrato não é verdade?

Zoom. Aproveite o zoom ou então uma lente de longo alcance para fotografar apenas uma parte da pessoa – olhos, mãos, boca, nariz, nuca, tronco, pernas… mas isso não é um retrato!? É um retrato original que desperta a curiosidade e a imaginação de quem vê, até porque muitas vezes o que não foi fotografado pode dizer mais do que tudo aquilo que foi realmente captado pela máquina.

Brincar com a luz. Em fotografia os efeitos da iluminação natural e artificial são praticamente ilimitados, sendo, por isso mesmo, bons aliados para conseguir retratos fantásticos. A luz lateral pode criar um ambiente específico, enquanto a luz posterior ou sobre a silhueta da pessoa pode esconder algumas das suas feições, de forma a conseguir um ar dramático. Faça muitas experiências e surpreenda-se.

Pose vs. Natural. Enquanto representação fiel de uma pessoa, um retrato está geralmente associado a poses estáticas, o que muitas vezes não faz nada em termos de contribuir para uma fotografia original e apelativa. Um retrato também pode ser tirado sem a pessoa estar a contar, ou seja, fotografe-a num ambiente familiar a fazer coisas de forma natural para conseguir um momento especialmente realista. Para tornar a experiência ainda mais produtiva, coloque a máquina na função de disparo contínuo para tirar uma série de fotos que captam movimentos sucessivos e a partir das quais pode escolher a melhor, ou então exibi-las em conjunto… não deixam de ser um retrato.

Moldura real. Em vez de fotografar exclusivamente o rosto de uma pessoa, procure emoldurá-lo com recurso a outros elementos como uma janela, porta, gradeamento, uma pequena abertura ou mesmo utilizando as suas próprias mãos. O resultado será um retrato com elevado interesse e profundidade, porque a existência da moldura direcciona a atenção de quem vê para algo muito específico, como a expressão dos olhos ou da boca.

Trocar o formato. Tradicionalmente, os retratos são tirados com a máquina posicionada de forma vertical – porque não quebrar as regras e disparar horizontalmente para variar? E quem diz vertical e horizontal, também aplaude o fotografar com recurso a um ângulo diagonal para um toque artístico e/ou irreverente. Os resultados serão certamente diferentes, mas igualmente ou ainda mais apelativos ao olho.

Fotografia em movimento. Embora a tradição aponte para os retratos como sendo imagens completamente estáticas, não há nada como introduzir um pouco de movimento para dar uma nova vida a um velho retrato. Existem três formas de conferir acção a um retrato: a própria pessoa pode mexer-se; o elemento principal mantém-se estático mas introduz-se um elemento activo no cenário; mexe-se a câmara fotográfica ou a sua lente de forma a conseguir um zoom burst (técnica que requer uma velocidade de obturação baixa e zoom na lente enquanto se dispara). Independentemente da forma escolhida, terá de certificar-se que utiliza sempre uma velocidade de obturação suficientemente baixa para conseguir captar o movimento ou então, em alternativa, seguir os movimentos de quem fotografa, mas com uma velocidade de obturação igualmente veloz para poder congelar esse gesto.

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Não hospedamos nada aqui na Baixe Tudo Photoshop
Só indexamos links da própria internet.

Todos os comentários são lidos e moderados,
é necessário aguardar aprovoção.

Assunto que não esteja relacionado ao post não será aceito.

Link Quebrado é só informar que vamos retirar o mais rápido possível.

OBRIGADO!